sexta-feira, 26 de maio de 2017

RUMO AO PASSADO

Zildo Gallo


As águas passam
Os ventos passam
Passam os dias e as noites
Todos os dias e todas as noites
Passam em ciclos as estações
Primavera, verão, outono, inverno...
Primavera...
As vidas também passam
Todas as vidas passam
Todos os dias e todas as noites...
E eu também caminho celeremente
Rumo ao meu passado
Cada vez mais distante
Mais passado...
Olho-me e nitidamente me vejo
Cada vez mais com mais passado
E cada vez menos com mais futuro
Apenas espero que tudo me tenha sido
Muito... muito... muito bem passado
Enquanto isso...
O meu presente vai sendo passado.




Zildo Gallo
Araraquara, 25 de maio de 2017



2 comentários:

  1. O passado, quando deixa de ser presente, nos faz sentir sdds de tudo que se torna ausente e que talvez, nem o futuro possa trazer de novo esse passado tão presente. Adorei te ler. Estarei por aqui. Abraços presentes, que já eata virando, passado ausente.

    ResponderExcluir