sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

SÓCRATES & SÓCRATES

Zildo Gallo


Quando Sócrates na Atenas democrática
Preferiu a morte a negar a supremacia
Da liberdade do livre filosofar
Marcou um gol
Um lindo gol de placa
Como aqueles do Sócrates brasileiro
Artista da bola e sábio nas ideias
Um gol no ângulo reto esquerdo da trave
Provando que “a soma do quadrado dos catetos
É igual ao quadrado da hipotenusa”
Como pensava Pitágoras
Outro sábio grego.

Filosofia ciência e arte
A serviço das liberdades
De todas as liberdades...

O filósofo e o atleta
Ambos guerreiros das liberdades
Um filosofava e despertava a juventude
Das suas citadinas ilusões
O outro marcava gols e lutava
Nos estertores da dura ditadura
Pela democracia
Não a democracia de Atenas
Pois esta estava na Grécia e carrega a mácula eterna
De ter matado o sabidíssimo Sócrates heleno
Mas sim a fugaz democracia corintiana
E a cambaleante democracia brasileira.

Sócrates Sampaio de Souza Vieira de Oliveira
Um brasileiro
Uma voz vibrante nos gritos fervorosos:
“Diretas já!”
É gooooooooooool!


PS.: este poema foi escrito por um palmeirense convicto, numa prova cabal de que a tolerância sempre é o melhor caminho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário