quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

É JUSTO? (11)

Zildo Gallo

Garimpar imagens na imensidão da internet e compará-las pode ser um bom exercício para compreender o mundo nos dias de hoje. Muitas vezes as imagens falam por si mesmas, como nas fotografias de Sebastião Salgado, mas elas podem (servem) para ilustrar crônicas e poemas como é o caso do meu poema "Homem com cão". As imagens podem ajudar na compreensão de textos, podem? Elas podem falar mais que os textos. Às imagens e ao poema!


Homem com cão

Como São Francisco
Um santo mendicante
O homem desprovido das coisas
Sem teto (Homeless) e mais nada
Lançado à sarjeta a brincar
A brincar com seu cachorro
Retrato da inocência primeva
Puro afeto e alegria pura
Uma pausa para a paz
Momento divinal...

Santo dos tempos hodiernos
Carregando a nossa pesada cruz
Dolorosa via crucis
Expondo as chagas descartadas
De um mundo descartável
Mundo sintético
Cibernético
Com suas embalagens one way
McDonald's com Coca-Cola
Homens descartáveis
Vidas one way
Santos descartáveis
Malucos de Deus...

O bom amigo do pobre homem
Nem de longe desconfia
Nem nunca saberá
Na sua afetiva sabedoria canina
Desta pobreza seleta e abjeta
Conceito tão humanamente
Construído e reconstruído...
Construído e reconstruído...
No mundo natural
Canino
Tudo é divina riqueza.

Àqueles que passam e torcem o nariz
(Arrogância dos possuidores possuídos)
Ao ser humano banido do Shopping Éden
Pelas "mãos invisíveis"
Onipresentes
Do smithiano "Deus Mercado"
Late o cão no mais perfeito latim:
Canis amicus optimus hominis est.
Respeito e reverencio o seu sábio latido:
Neste mundo cão só pode ser o cão
O melhor amigo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário