quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Haicais de 4 (quatro) – tempo & vento

Zildo Gallo


      1

O vento passa
Deixa rápido frescor
Sonhos agrestes...

      2

O tempo passa
Rápido feito vento
Só memórias...

      3

Chuva com vento
Molha minhas lembranças
Fria solidão...

      4   

O tempo me traz
Ventos da memória
Intermitentes...


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

LIBERDADE, IGUALDADE E FRATERNIDADE EM 2017!

Zildo Gallo


Para este ano de 2017, desejo a todos os meus leitores e leitoras o mesmo que desejei para 2016, a concretização dos ideais interrompidos (no meu modo de ver) da Revolução Francesa (1789-1799), que conseguiu resumir em apenas três palavras (liberdade, igualdade e fraternidade) as condições necessárias à realização de uma vida digna e próspera para todos os cidadãos do planeta, não só para os cidadãos franceses. Tratam-se de valores universais.


A LIBERDADE é essencial ao desenvolvimento do potencial de cada indivíduo, todos os seres humanos precisam de LIBERDADE, indistintamente. Se tem algo que limita a LIBERDADE, este algo é a pobreza; ela dificulta o aprendizado (escola e cultura), a saúde (alimentação e cuidados sanitários) e a locomoção (o direito de ir e vir), que são essenciais ao bem-estar e à realização do espírito. No atual momento da humanidade, a pobreza extrema é muito grande e, ao mesmo tempo, a riqueza concentra-se de forma nunca dantes vista. O fosso entre ricos e pobres alargou-se no pós-guerra e continua nesta mesma dinâmica nos dias de hoje.
Para que a LIBERDADE alargue os seus horizontes, é preciso desconcentrar a renda e eliminar a pobreza. É necessário diminuir as diferenças sociais e aumentar a IGUALDADE. Quanto mais igual mais livre é a sociedade, pois a LIBERDADE é necessária a todos e não só para os que controlam as riquezas. Todos os seres humanos são iguais, independente da raça, da classe social, do gênero, da religião etc. Assim, a IGUALDADE pressupõe a inexistência de qualquer tipo de segregação e preconceito, pois eles contribuem para diminuir a LIBERDADE e impedem a FRATERNIDADE.
Por sua vez, a FRATERNIDADE é essencial à LIBERDADE e à IGUALDADE, já que ela se assenta na compaixão que cada ser humano precisa ter para viver em grupo, para realizar no seu processo de humanização, pois os homens só são (tornam-se) humanos em sociedade (o homem é um animal social - Aristóteles). A FRATERNIDADE é um instrumento essencial para a diminuição da pobreza e das diferenças sociais e ela precisa fazer-se presente na política, pois o homem também é um animal político (Aristóteles). Então, cabe ao Estado enquanto instância organizada e organizadora da sociedade buscar a diminuição da pobreza e a inclusão social. A sua função não é apenas garantir o "bom" funcionamento do mercado, como desejam os liberais conservadores, que olham para o mundo exclusivamente a partir das suas gordas posses pessoais.
A FRATERNIDADE, a IGUALDADE e a LIBERDADE são interdependentes e iguais em valor. Não dá para pensá-las isoladamente e nem de forma particular, a partir do indivíduo, ainda que a individualidade (não confundir com individualismo) seja um valor que deve ser preservado/respeitado (a individualidade não é um valor absoluto para o cidadão, pois, quando extremada, ela pode ferir a individualidade alheia, aí ela vira individualismo), pois elas são valores coletivos, humanizantes, necessários à convivência pacífica e próspera da humanidade como um todo. Hoje, a humanidade passa por um momento de extremo individualismo, egoísmo mesmo, e os resultados disso estão à vista (pobreza, violência, drogas, poluição, guerras, preconceitos, intolerâncias etc. etc. etc.) de todos que queiram verdadeiramente ver. A individualidade tem seu limite e ele se localiza nas fronteiras do bem-estar coletivo.
LIBERTÉ * EGALITÉ * FRATERNITÉ - JÁ!!!!!!!


DEPOIS DE TANTOS ANOS, A HUMANIDADE JÁ ESTARIA (DEVERIA ESTAR) MADURA E CONSCIENTE O SUFICIENTE PARA REALIZAR (COMPLETAR) ESTA REVOLUÇÃO DE FORMA TOTALMENTE PACÍFICA, SEM A VIOLÊNCIA DE 1789, COMO ACONTECEU NA FRANÇA REVOLUCIONÁRIA. SERÁ QUE ESTÁ? ATÉ QUANDO A HUMANIDADE VAI PRESENCIAR TANTA TRAGÉDIA SEM SE MOVER? ELA AINDA NÃO SE CANSOU? PARECE QUE NÃO... TORÇAMOS PARA ISSO...
FELIZ 2017!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

SÓCRATES & SÓCRATES

Zildo Gallo


Quando Sócrates na Atenas democrática
Preferiu a morte a negar a supremacia
Da liberdade do livre filosofar
Marcou um gol
Um lindo gol de placa
Como aqueles do Sócrates brasileiro
Artista da bola e sábio nas ideias
Um gol no ângulo reto esquerdo da trave
Provando que “a soma do quadrado dos catetos
É igual ao quadrado da hipotenusa”
Como pensava Pitágoras
Outro sábio grego.

Filosofia ciência e arte
A serviço das liberdades
De todas as liberdades...

O filósofo e o atleta
Ambos guerreiros das liberdades
Um filosofava e despertava a juventude
Das suas citadinas ilusões
O outro marcava gols e lutava
Nos estertores da dura ditadura
Pela democracia
Não a democracia de Atenas
Pois esta estava na Grécia e carrega a mácula eterna
De ter matado o sabidíssimo Sócrates heleno
Mas sim a fugaz democracia corintiana
E a cambaleante democracia brasileira.

Sócrates Sampaio de Souza Vieira de Oliveira
Um brasileiro
Uma voz vibrante nos gritos fervorosos:
“Diretas já!”
É gooooooooooool!


PS.: este poema foi escrito por um palmeirense convicto, numa prova cabal de que a tolerância sempre é o melhor caminho.


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

É JUSTO? (11)

Zildo Gallo

Garimpar imagens na imensidão da internet e compará-las pode ser um bom exercício para compreender o mundo nos dias de hoje. Muitas vezes as imagens falam por si mesmas, como nas fotografias de Sebastião Salgado, mas elas podem (servem) para ilustrar crônicas e poemas como é o caso do meu poema "Homem com cão". As imagens podem ajudar na compreensão de textos, podem? Elas podem falar mais que os textos. Às imagens e ao poema!


Homem com cão

Como São Francisco
Um santo mendicante
O homem desprovido das coisas
Sem teto (Homeless) e mais nada
Lançado à sarjeta a brincar
A brincar com seu cachorro
Retrato da inocência primeva
Puro afeto e alegria pura
Uma pausa para a paz
Momento divinal...

Santo dos tempos hodiernos
Carregando a nossa pesada cruz
Dolorosa via crucis
Expondo as chagas descartadas
De um mundo descartável
Mundo sintético
Cibernético
Com suas embalagens one way
McDonald's com Coca-Cola
Homens descartáveis
Vidas one way
Santos descartáveis
Malucos de Deus...

O bom amigo do pobre homem
Nem de longe desconfia
Nem nunca saberá
Na sua afetiva sabedoria canina
Desta pobreza seleta e abjeta
Conceito tão humanamente
Construído e reconstruído...
Construído e reconstruído...
No mundo natural
Canino
Tudo é divina riqueza.

Àqueles que passam e torcem o nariz
(Arrogância dos possuidores possuídos)
Ao ser humano banido do Shopping Éden
Pelas "mãos invisíveis"
Onipresentes
Do smithiano "Deus Mercado"
Late o cão no mais perfeito latim:
Canis amicus optimus hominis est.
Respeito e reverencio o seu sábio latido:
Neste mundo cão só pode ser o cão
O melhor amigo.