sexta-feira, 17 de junho de 2016

É JUSTO? (6)

ZILDO GALLO

Garimpar imagens na imensidão da internet e observá-las pode ser um bom exercício para compreender o mundo nos dias de hoje. Muitas vezes as imagens falam por si mesmas, como nas fotografias de Sebastião Salgado, mas elas podem (servem) para ilustrar crônicas e poemas como é o caso do meu poema "Condição humana ou time is money". Uma imagem pode ajudar na compreensão de textos, pode? Ela pode falar mais que os textos. À imagem e ao poema!

ALGUM DIA ISTO VAI ACABAR?

CONDIÇÃO HUMANA OU TIME IS MONEY

Donde vem esta insondável melancolia?
Será pelos homens que se digladiam
e se matam todos os dias?
Será pelas crianças que clamam
por um prato de comida
e por um leito quente,
protegido das intempéries?

Nada tão grande
e tão humanamente importante.
Trata-se apenas da minha pequenez
diante das titânicas engrenagens
da máquina do tempo
(Time is money)
que move o mundo,
que me esmaga e me coloca diminuto,
frágil sobrevivente,
ao menos por hoje,
enquanto sigo vivendo,
meramente vivente,
nesta nave que erra pelos céus
na franja da Via Láctea.

Será que sou
e apenas consigo ser
apenas mais um impotente espectador,
mera vítima-testemunha
da (in)humana insensatez,
que (sobre)vive para encurtar o tempo,
reduzindo-o a frações de frações de segundo,
para colocá-lo num perpetuum mobile,
continuamente a serviço da grande ilusão
da riqueza que sempre está por vir,
num permanente porvir?

Será que não tenho como abandonar
este insano trabalho de Sísifo?
Sísifo, um condenado como eu,
empurrando eternamente a pedra morro acima
e ela, teimosamente,
depois do insano esforço,
sempre teimando em rolar morro abaixo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário